TUA VINHARIA
 
...

Quinta dos Castelares

‘’Trabalhamos para fazer o melhor dos melhores’’

Foi o ‘’amor à primeira vista’’ de Pedro Martins por Freixo de Espada à Cinta, terra de encantos e lendas, que fez nascer os vinhos Quinta dos Castelares. ‘’Vinhos únicos, com presença, que espelham o potencial brutal deste terroir’’, segundo Pedro, que acrescenta: ‘’são a minha visão do que é um vinho’’.

Pedro conheceu a mulher, Sandra Caldeira, que é de Freixo de Espada à Cinta, quando estudava no Porto, e depois de ela lhe apresentar esta terra nunca mais quis sair. Em 2010 este engenheiro mecânico desafiou a família, mais precisamente o sogro, proprietário da Casa Agrícola Manuel Joaquim Caldeira, que já sonhava ter uma marca de vinhos, para este projeto.

A quinta, com cerca de 100 hectares, situa-se no concelho de Freixo de Espada à Cinta, na margem direita do rio Douro, e é composta por diferentes vinhas, onde se procura tirar partido das especificidades de cada localização. Na Vinha do Almirante, por exemplo, encontram-se as vinhas velhas, com mais de 40 anos, plantadas sob a orientação do Engenheiro Gastão Taborda, um ‘’herói desconhecido’’ da viticultura Duriense, com as principais castas tintas do Douro, destacando-se a Touriga Nacional.

Mais perto do rio, na vinha da Congida, onde as uvas atingem maiores maturações, estão plantadas apenas castas tintas, e nas zonas com mais altitude estão as castas brancas viradas para Norte, orientação essa que deu o nome a uma das recentes novidade da Quinta dos Castelares, o vinho branco Vinhas a Norte.

 

Crescer como pessoa e como produtor de vinhos

Num projeto como este é natural que se encontrem dificuldades, sendo que a maior de todas, para Pedro Martins, é ‘’perceber como funciona o negócio dos vinhos e todo o processo legal à volta’’, explica, acrescentando que ‘’a maior dificuldade não é produzir bom vinho, porque isso depende das uvas, a dificuldade é comercializá-lo, fazer as pessoas acreditarem neste projeto, na paixão de duas pessoas por Freixo de Espada à Cinta’’.

O vinho Quinta dos Castelares é biológico porque Pedro não tem dúvidas sobre o papel da ação humana nas alterações climáticas e como tal acredita que tem o dever de fazer alguma coisa para reduzir o impacto ambiental. ‘’Lembro-me de quando tínhamos quatro estações ao longo do ano, agora podemos ter essas mesmas estações em três dias. Acontece termos 30 graus a uma segunda-feira e no dia seguinte 15 graus’’, exemplifica. Assim, acredita que por muito pequenos que sejam podem fazer a diferença e provar que é possível fazer grandes vinhos biológicos.

Vários dos navegadores que ajudaram Portugal a dar novos mundos ao mundo nasceram em Freixo de Espada à Cinta e muito desse legado, que está presente na arquitetura manuelina que domina o centro histórico, serviu de inspiração para os rótulos dos vinhos Quinta dos Castelares.

Quisemos saber se Pedro é um desses ‘navegadores’ dos tempos modernos que quer levar os vinhos da Quinta dos Castelares pelo mundo. ‘’O meu objetivo é crescer como pessoa e como produtor de vinhos’’, respondeu, ‘’trabalhamos todos os dias para fazer o melhor dos melhores’’.

https://www.tua.wine/imagens/13/Quinta-dos-Castelares_final.jpg
https://www.tua.wine/imagens/13/Quinta-dos-Castelares_final_02.jpg
https://www.tua.wine/imagens/13/Quinta-dos-Castelares_final_03.jpg
https://www.tua.wine/imagens/13/Quinta-dos-Castelares_final_04.jpg
https://www.tua.wine/imagens/13/Quinta-dos-Castelares_final_05.jpg

Outras histórias com vinho

Era uma vez um sonho que se tornou realidade

Era uma vez um sonho que se tornou realidade

Era uma vez… um homem que se chamava Isaac e vivia fora do seu país. Esse homem tinha um sonho. Sonhava produzir um vinho do Douro.

Ver +
InstagramIcone

INSTAGRAM